Acessibilidade Mapeada e a TO
5 de dezembro de 2021
PALESTRA COMPLETA
28 de janeiro de 2022

Terapia Ocupacional em Saúde Mental

Trago aqui alguns trechos de um importante artigo nacional sobre Terapia Ocupacional em Saúde Mental, publicado em 2013 por Silva e Araújo, na revista Baiana de Terapia Ocupacional:

A saúde mental sofreu mudanças no decorrer de toda sua história, de acordo com as necessidades e transformações do mundo e do processo de tratamento de doenças, como fator presente na vida do ser humano.

No Brasil, após algumas influências de serviços de saúde mental na Europa e da reforma psiquiátrica do país, o Ministério da Saúde cria leis que passam a interpretar a doença mental como um problema de saúde pública, possibilitando assim, atenção adequada.

O processo de mudança social e que levou os cuidados com a saúde mental ter novos rumos incentivou o Sistema Único de Saúde a identificar a necessidade do profissional no contexto de reabilitação proposto, levando-os a modificar também as suas práticas, tornando-as voltadas a autonomia e participação social dos usuários dos serviços oferecidos, partindo do princípio de que a reabilitação psicossocial está vinculada.

Assim como a saúde mental sofreu grandes transformações durante seu curso, a Terapia Ocupacional também mostra que evoluiu na sua forma de cuidar. A Terapia Ocupacional colabora com a reabilitação funcional do usuário dos serviços de saúde mental, além de trabalhar aspectos subjetivos da individualidade humana.

Como houve maior valorização da atividade humana e do trabalho na própria saúde mental e inserção social das pessoas, foi deixada para trás a ideia de ocupar por ocupar, presente nos primeiros hospitais psiquiátricos.

A essência da Terapia Ocupacional está diretamente ligada à atividade Humana com o objetivo de dar ao indivíduo uma estruturação/reestruturação do seu cotidiano e sua autonomia, gerando assim, qualidade de vida.

Tais perspectivas estão diretamente ligadas às ações e objetivos da saúde no mundo atual, ou seja, a constante busca da qualidade de vida.

Essa qualidade de vida só é possível com a união das várias de redes de serviços existente e dos mais variados profissionais que podem estar envolvidos nesse processo.

O trabalho em equipe é essencial, e cabe ao profissional da Terapia Ocupacional pontuar o seu conhecimento sobre a atividade humana, contribuindo para alcançar os objetivos no curso da reabilitação psicossocial e da atenção básica.

Leia na íntegra em: http://www.bahiana.edu.br/revista

Terapia Ocupacional em Saúde Mental: evidências baseadas nas portarias do SUS

Revista Baiana de Terapia Ocupacional. 2013 maio;2(1):41-52

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

English EN German DE Portuguese PT Spanish ES
Posso ajudar?