Disfunção erétil e reabilitação sexual
26 de novembro de 2021
Acessibilidade Mapeada e a TO
5 de dezembro de 2021

Terapia Ocupacional e o trabalho junto a pacientes HIV/AIDS

Hoje, as pessoas em todo o mundo usarão fitas vermelhas para apoiar o Dia Mundial da AIDS. Esta jornada de reconhecimento começou em 1988 para dar às pessoas a oportunidade de se unirem na luta contra o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), mostrar apoio aos que vivem com HIV e também homenagear aqueles que já faleceram.

Continua a haver muitos mitos e estereótipos sobre como o HIV é transmitido, e o estigma permanece para aqueles que vivem com o HIV. Infelizmente, ainda não há cura para isso, mas a doença é evitável.

O Vírus da Imunodeficiência Humana é um vírus que ataca o sistema imunológico do nosso corpo e, ao longo do tempo, enfraquece o nosso sistema imunológico a ponto de não conseguir mais combater bactérias, vírus, parasitas e até mesmo cânceres.

Essas doenças, conhecidas como infecções oportunistas, podem progredir no corpo de uma pessoa que vive com HIV e se tornar o que é conhecido como Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, ou AIDS.

Embora as pessoas que vivem com HIV experimentem dificuldades, o HIV agora é considerado uma doença crônica de longo prazo que pode ser tratada para ajudar a prolongar e melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV / AIDS.

O HIV é conhecido pelos profissionais de saúde como uma “deficiência episódica”, o que significa que, para as pessoas que vivem com o vírus, os sintomas podem variar de forma imprevisível. Alguns sintomas comuns incluem fraqueza muscular, fadiga, alterações nas sensações nas mãos e nos pés, diminuição da concentração e raciocínio, problemas digestivos, dor crônica, bem como depressão ou ansiedade.

Como os sintomas podem variar, as pessoas com HIV / AIDS podem ter dificuldade para realizar atividades cotidianas como cuidar de si mesmas, cuidar de si mesmas em casa e ir ao trabalho.

Os terapeutas ocupacionais trabalham na reabilitação de pessoas com todas as formas de deficiência, e podem ajudar as pessoas que vivem com HIV a administrar melhor suas atividades desejadas, apesar dos sintomas imprevisíveis e contínuos.

Na verdade, os terapeutas ocupacionais trabalham com pessoas que vivem com HIV ajudando-as a: gerenciar sua energia apesar da dor e dos sintomas flutuantes, encontrar maneiras de se adaptar às tarefas para torná-las mais gerenciáveis, obter dispositivos que podem melhorar com segurança e independência ao concluir as tarefas diárias.

 Os terapeutas ocupacionais também podem ajudar as pessoas a gerenciar as consequências emocionais associadas à condição e podem desenvolver estratégias para auxiliar nas mudanças cognitivas, caso existam.

Outra maneira importante de os terapeutas ocupacionais ajudarem as pessoas com HIV é por meio da educação e do fornecimento de estratégias para que possam autogerenciar sua doença. Isso é essencial, pois o HIV é uma doença de longa duração, e tem características de cronicidade.

A avaliação e intervenção em TO concentra-se em três grandes áreas: funcionamento cognitivo, psicológico e físico. Exemplos de intervenções específicas dentro das áreas estão abaixo:

  • Gerenciamento de estresse
  • Treino de relaxamento
  • Higiene do sono
  • Treinamento funcional  ABVD e AIVD
  • Triagem neurocognitiva e avaliação
  • Estratégias de memória e organização
  • Fornecimento de equipamento compensatório e tecnologia assistiva.

Os terapeutas ocupacionais (TOs) que trabalham na clínica de HIV são profissionais especializados cujo papel é melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem com o HIV. Todo o trabalho para melhorar a qualidade de vida é considerado parte importante e essencial do processo de reabilitação nesta área.

FONTES – https://www.solutionsforliving.ca/2017/12/hivaids-and-the-role-of-occupational-therapy/

https://www.hivbirmingham.nhs.uk/our-team/hiv-occupational-therapists/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

English EN German DE Portuguese PT Spanish ES
Posso ajudar?