A Terapia Ocupacional e o Câncer de Próstata
22 de novembro de 2021
Terapia Ocupacional e o trabalho junto a pacientes HIV/AIDS
1 de dezembro de 2021

Disfunção erétil e reabilitação sexual

Neste novembro azul, apresento um texto muito interessante sobre o trabalho da Terapia Ocupacional junto à pacientes em tratamento de Câncer de Próstata .

Não é uma prática muito conhecida pelas equipes de Reabilitação em Câncer com adultos,  por isso este texto, que é  uma tradução parcial livre de um capítulo de livro sobre Reabilitação Oncológica, é uma importante contribuição para Terapia Ocupacional.

São autores ligados à uma Universidade  na Turquia, todos terapeutas ocupacionais, que narram suas experiências clínicas junto à pacientes com Câncer de Próstata , algumas inclusive baseadas  em evidências.

A postagem será realizada em 4 partes, completando o capítulo ao final,  com suas referências e autores.

Boa leitura, e se gostar comente e compartilhe!

Obrigada!!

A abordagem de reabilitação para a disfunção erétil está focada no treinamento dos músculos do assoalho pélvico e na força muscular na base do pênis. Após o exame inicial e a determinação de um plano de intervenção, o fisioterapeuta pode orientar a paciente na realização de exercícios específicos para os músculos do assoalho pélvico e músculos indiretamente relacionados, como os músculos abdominais e glúteos. Esses exercícios ajudam a aumentar o suprimento de oxigênio aos tecidos. A terapia a vácuo também pode ser usada para gerar pressão negativa que aumenta o fluxo sanguíneo para o pênis.

A reabilitação sexual é um dos componentes mais importantes da reabilitação de pacientes com câncer de próstata e está significativamente relacionado à qualidade de vida. Homens com câncer de próstata ficam mais estressados com a disfunção sexual se forem mais jovens. Homens mais jovens e mais velhos precisam de assistência de tratamento físico, social, emocional e psicológico para esse problema.

Posições sexuais seguras, e menos fadiga para pacientes com câncer de próstata.

A sexualidade é uma questão íntima e os profissionais de terapia ocupacional podem examinar as atitudes da sociedade em relação aos pacientes com câncer de próstata e suas próprias crenças, valores e atitudes sobre a sexualidade. Os pacientes podem ser emocionalmente vulneráveis ​​e recessivos e TOs podem fornecer informações sobre a reabilitação sexual.

A reabilitação deve ser composta por uma equipe interdisciplinar incluindo enfermeiras, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, sexólogos, nutricionistas, massoterapeutas e psicólogos. Die Perink et al. havia conduzido um programa de reabilitação, com um curso de 4 dias desenvolvido com base na experiência com reabilitação de mais de 7.000 sobreviventes de câncer, incluindo atividade física, exercícios para o assoalho pélvico, massagem e relaxamento para casais, dieta alimentar e educação para a sexualidade. Eles aconselham a prática de reabilitação sexual sobre disfunção sexual. Os terapeutas ocupacionais podem orientar não apenas os pacientes, mas também os parceiros sobre posições sexuais favoráveis ​​(Figura). Essas posições podem ser mais confortáveis ​​e seguras para os homens. Assim, a ocorrência de sintomas como fadiga e dor será reduzida com a intervenção da terapia ocupacional. Pacientes com câncer de próstata terão, portanto, função sexual normal. Existem muitas dimensões, incluindo emocional, assistência material e informação e o terapeuta ocupacional deve se ater a dar conselhos sobre estilo de vida aos pacientes para aplicá-los em sua vida diária. Assim, os pacientes e seus parceiros recebem atenção interdisciplinar nesta delicada área da reabilitação do Câncer de Próstata.

Reabilitação vocacional

A longa sobrevida com boa QV, faz com que o paciente com câncer de próstata pense em retornar ao trabalho após o tratamento, e 6 meses após a cirurgia de prostatectomia radical. Este pode ser um grande passo positivo para os homens que se preocupam em reestabelecer sua rotina usual, e é compreensível se eles se sentirem ansiosos ou preocupados. Mas, do ponto de vista da terapia ocupacional, ter um plano de retorno ao trabalho pode ajudar o paciente a tornar a transição mais fácil. A maioria dos sobreviventes do câncer de próstata estarão mentalmente e fisicamente saudáveis, ​​não exigindo uma mudança de emprego; enquanto outros vão precisar de alguns ajustes, como redução do horário de trabalho, tarefas modificadas, tentativa de fazer trabalhos semelhantes, uso do tempo com controle da fadiga ou o uso de tecnologia assistiva. Um terapeuta ocupacional pode ajudar a determinar se o paciente está pronto para voltar ao trabalho, identificar acomodações que o ajudarão a fazer seu trabalho, e ajudá-lo a obter treinamento ou procurar um novo emprego se necessário. Além disso, melhorar as habilidades de autogestão da sobrevivência ao câncer de próstata, o ajuda a identificar suas necessidades e fronteiras, se preparando para uma vida diária independente e reintegração social.

Educação e aconselhamento do paciente

A educação do paciente, parceiro, família e cuidador é uma parte importante da terapia ocupacional porque quase todas as abordagens (restauração, compensação, modificação ambiental etc.) envolvem aprender novas estratégias e combinar essas estratégias no estilo de vida das pessoas. Educação contém informações sobre câncer de próstata e os sintomas, criam e aumentam a consciência sobre as habilidades de gerenciamento da doença. Ao mesmo tempo, um terapeuta ocupacional pode usar vários materiais, como demonstração, formato escrito, fotos e vídeos para ajudar o paciente e sua família a participarem de suas atividades. Além da educação geral, sabe-se que o principal recurso educacional do paciente com câncer de próstata é a internet, o que pode não ser útil para a cura psicossocial do paciente com câncer de próstata ou do sobrevivente.

Assim, em estudos recentes, novos programas de educação foram concebidos, como “Entre homens”, que oferece sessões de terapia e educação em grupo online. Os objetivos desses programas eram dar aos pacientes todas as informações disponíveis sobre o câncer de próstata, tratamento, e como lidar com os efeitos colaterais. Programa planejado uma vez por semana durante 7 semanas e incluía experiências e reações dos pacientes, dificuldades de comunicação, especialmente efeitos sexuais e emocionais, doenças e tratamentos de câncer de próstata, incontinência, sexualidade, importância e resolução de problemas. Os programas de educação online devem ser melhorados e generalizados para pacientes e sobreviventes com câncer de próstata, por todo o mundo.

Terapia Ocupacional e Atuação Junto aos Pacientes com Câncer de Próstata

Tradução livre e parcial do texto:

*Rehabilitation of Patients with Prostate Cancer

Autores – Meral Huri, Burcu Semin Akel and Sedef Şahin

Hacettepe University, Faculty of Health Sciences, Department of Occupational Therapy, Ankara, Turkey

http://dx.doi.org/10.5772/63989

https://www.intechopen.com/chapters/51360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

English EN German DE Portuguese PT Spanish ES
Posso ajudar?